Seis por metade de meia duzia...

"aquilo que se faz por amor está além do bem ou do mal". - Nietzsche

quinta-feira, 20 de março de 2014

FACTOIDE - Bancada feminina discute cota eleitoral com procurador-geral da República

A bancada feminina da Câmara se reúne hoje com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para discutir a cota eleitoral de gênero. O objetivo do grupo é assegurar uma participação mais igualitária de homens e mulheres no cenário político nacional.
A reunião será realizada às 10 horas, na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília.
O Brasil ocupa apenas o 156º lugar do mundo em um ranking de 188 países das nações com maior participação da mulher na política. É algo que nos causa perplexidade, envergonha a todos, disse o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Marco Aurélio Mello, durante o lançamento da campanha Mulher na Política, em sessão solene ontem no Congresso.
Em uma sociedade que tem maioria feminina e na qual o nível de escolarização das mulheres é superior ao dos homens, menos de 10% das prefeituras são dirigidas por mulheres; 12% das vereadoras são mulheres; e apenas dois estados têm uma mulher à frente do governo, o que corresponde a 7%.
Na Câmara dos Deputados, 8% das vagas é ocupada por mulheres (46 dentre 513); enquanto no Senado, 10 integrantes são mulheres, correspondendo a 12% do total de 81 representantes.
Agência Câmara de Notícias
 
OBSERVAÇÃO: Colocamos a palavra “factoide” porque faz desnecessária tal atitude, tendo em vista que hoje as mulheres não possuem nenhuma restrição no ordenamento jurídico ou na sociedade para participar ativamente das decisões políticas.


Caso um partido deseje, poderá disputar uma eleição só com mulheres na chapa ou na coligação, mas nunca um partido, através dos candidatos, poderá participar do pleito com chapa composta exclusivamente, e na sua totalidade, de homens. Resumindo, mulher participa se quiser... Portando, a decisão é volitiva, depende exclusivamente das mulheres e não de procurador, pescador ou cortador de cana.
E dizer que os homens colocam obstáculos a participação das mulheres, também é outro factoide, tendo em vista que a nossa Presidenta da Republica, Dilma, teve como padrinho político o ex-presidente Lula, homem. A nossa governadora, Roseana Sarney, teve como padrinho e pai o Senador José Sarney, homem, e nossa ex-prefeita, Conceição Andrade, teve como padrinho e defensor para chegar ao poder, outro homem – Jackson Lago. Enfim, a política tem suas regras, as regras do jogo... e cabe a quem queira participar, mulheres ou homens, se adequar e não ficar se reclamando em função de ter nascido mulher...
E chega, para justificar o hoje e angariar votos femininos, de discurso antropológicos e históricos, de tempos em que não participamos, como se fossemos culpados pelas atitudes do tempo de Matusalém. Nascemos no hoje, vivemos no hoje, em uma realidade totalmente distinta...

Viva a mulheres e que melhorem os quadros politico!

Nenhum comentário:

Faça seu pedido de amizade no FACEBOOK...

Click na imagem...