Seis por metade de meia duzia...

"aquilo que se faz por amor está além do bem ou do mal". - Nietzsche

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

RESULTADO ENEM 2010 – MARANHÃO

Veja abaixo o quadro com os melhores colégios do Maranhão e aqui o ranking completo e por município.


UF Escola Município Rede Enem 2010 Enem 2009 Part. 2010 %
MA JARDIM ESCOLA CRESCIMENTO LTDA
SAO LUIS Privada 697,60 692,29 89,20

MA CENTRO DE EDUCACAO INTERNACIONAL
SAO LUIS Privada 693,72 632,45 79,20

MA COL EDUCATOR LTDA
SAO LUIS Privada 689,04 683,92 98,30

MA CENTRO EDUCACIONAL MONTESSORIANO REINO INFANTIL
SAO LUIS Privada 685,00 693,37 99,20

MA INSTITUTO FEDERAL DO MARANHAO CAMPUS SAO LUIS-MONTE CASTELO
SAO LUIS Pública 676,22 677,47 83,50

MA ESCOLA SANTA TERESINHA
IMPERATRIZ Privada 668,53 635,70 90,10

MA COLEGIO DOM BOSCO LTDA
SAO LUIS Privada 664,37 663,04 85,70

MA CEFETMA UNID DE ENSINO DE IMPERATRIZ
IMPERATRIZ Pública 662,63 642,57 87,90

MA UNIVERSIDADE INFANTIL RIVANDA BERENICE LTDA
SAO LUIS Privada 661,21 596,50 88,90

MA COL STA TERESA
SAO LUIS Privada 658,75 661,39 92,20

MA CENTRO DE ENSINO UPAON-ACU
SAO LUIS Privada 653,41 660,42 97,50

MA INST EDUCACIONAL SUL MARANHENSE COC
IMPERATRIZ Privada 652,64 603,72 90,00

MA COLEGIO BATISTA DANIEL DE LA TOUCHE
SAO LUIS Privada 646,44 622,22 100,00

MA COLEGIO UNIVERSITARIO
SAO LUIS Pública 645,05 540,10 73,30

MA ESCOLA SAO VICENTE DE PAULO
SAO LUIS Privada 643,00 627,00 93,70

MA COLEGIO O BOM PASTOR
SAO LUIS Privada 638,93 645,53 95,70

MA COOP EDUC DO MA COL SAO MARCOS
SAO LUIS Privada 634,19 - 66,70

MA COLEGIO MARISTA DO ARACAGY
SAO JOSE DE RIBAMAR Privada 633,95 645,16 96,20

MA COLEGIO LITERATO
SAO LUIS Privada 633,63 653,30 92,10

MA COMPLEXO EDUCACIONAL DOM BOSCO BALSAS
BALSAS Privada 631,94 607,59 96,00

MA COLEGIO SAO JOSE
CAXIAS Privada 626,93 585,14 97,00

MA COL PITAGORAS SAO LUIS
SAO LUIS Privada 623,22 634,40 89,60

MA COL BATISTA ELEUTERIO ROCHA
PEDREIRAS Privada 617,75 561,14 93,30

MA ESCOLA D PEDRO II LTDA
SAO LUIS Privada 614,77 660,17 85,10

MA COLEGIO ADVENTISTA DE SAO LUIS
SAO LUIS Privada 613,92 626,39 95,10

MA COL BATISTA LUDOVICENSE
SAO LUIS Privada 613,30 576,80 89,30

MA CENTRO DE ENSINO GEOALPHA
SAO LUIS Privada 613,27 633,64 91,30

MA COL BATISTA PASTOR GENESIO GUIMARAES LIMA
CODO Privada 610,19 616,32 85,70

MA ESC MARIA REGUEIRA DOS SANTOS
COELHO NETO Privada 609,56 576,63 53,40

MA COL STA LUZIA
IMPERATRIZ Privada 609,32 591,80 88,20

Veja mais em: Blog do Décio

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Nascente do Batatã, morte anunciada!


O precário abastecimento de água da capital maranhense pode piorar ainda mais nos próximos anos. É que umas das fontes de água potável - o Reservatório do Batatã - esta com os dias contados. Tudo por conta de invasões na nascente do rio que alimenta este açude, causando desmatamento à vegetação ribeirinha, queimadas, depósito de lixos, somado a desídia das autoridades municipais, estaduais e federaisInvasor cercou o rio como se fosse de sua propriedade, pode?

A ocupação desorganizada de áreas localizadas próximos a Curva do Funil, na BR 135, avança diariamente sobre a vegetação nativa e sobre o rio. Os invasores, na maioria desinformado, destroem tudo pela frente, cortam os pés de anajá, juçareira, arrari, bacaba, tucum, ibaubeira, etc. Arrancam as árvores pela raiz expondo o rio agonizante ao sol escaldante.
O fogo, também usado na destruição, expõe o solo dos morros, o que fatalmente, nas primeiras chuvas trará muita terra para o já fragilizado rio, no processo continua de erosão dos montes adjacentes. Nas fotos podemos constatar garrafas pets, sacos de batatinhas, isopor, peças de bicicletas, e outros jogados no rio.
Segundo populares, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA possui conhecimento deste crime ambiental, mas nenhuma medida concreta para a preservação do mesmo foi tomada até agora, nas duas vezes em que estiveram no local.
O reservatório do Batatã está localizado na reserva ambiental do Sítio do Físico e é responsável por parte do abastecimento de água potável da capital. Com o abandono do sistema Italuis e mais o assassinato desde delicado recurso hídrico, diga-se - genuinamente luduvicense, calcula-se que de cinco a oito anos sofreremos graves períodos de secas na capital.
Já esta na hora da Secretaria Estadual de Meio Ambiente – Sema, a Promotoria de Meio Ambiente, educadores e a sociedade em geral se movimentarem no intuito de não permitir o depauperamento desta nascente ou pelos menos mitigar a sua destruição imediata.



Publicou:


Blog do César Soares
portal itz
Professor Caio Hostillo


sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Adolescentes na prostituição: quem são os culpados?





por Evan de Andrade*

Semana passada foi veiculada matéria em que dois homens foram inocentados pelo Tribunal de Justiça do estado de Mato Grosso do Sul e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por terem praticado relações sexuais com duas adolescentes. Segundo os magistrados a lide não se enquadra no crime previsto no artigo 244-A, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), pois, as jovens já se encontravam em situação de exploração sexual.

Sou contra o meretrício. Em qualquer idade. Inclusive, faço campanha contra a prostituição. Todavia, percebo que de fato e de direito esses os homens são inocentes. Afinal, se não foram eles que colocaram essas jovens na prostituição, então, como pode-se condená-los?

Percebo que há um falso puritanismo. Há uma falsa campanha em defesa dos adolescentes. A sociedade mudou. E, esses promotores da justiça (lato sensu) precisam acordar, descer de seus luxuosos carros e dar uma volta pela cidade para que possam perceber isso. Precisam reanalisar suas atuações na defesa da juventude - do futuro. Pois, a temática mudou.

É a sociedade que quer assim... É a liberação desenfreada, a falta de controle sobre os veículos de comunicação de massa que permitem a "mentalização" do sexo. Muito cedo, pré-adolescentes e adolescentes são expostos a conteúdos pornográficos, às vezes dentro do próprio lar, via televisão.

Hoje, basta ligar a TV para ver imagens eróticas ou sugestivas ao sexo nas novelas, em seriados, nas transmissões das paradas gays, nos clipes, etc. E as músicas? As suas mensagens não são mais de duplo sentidos - são claras em suas referencias sexuais. Passando pelas ruas, podemos ver bancas de revistas expondo estrategicamente imagens eróticas para qualquer um que passa por ali.

Publicidade de motéis sem "segmentação" de público. E a Internet - acessível a qualquer pessoa em cada esquina em Lan Hause ou cyber café por até dois reais. E a eficiente "indústria" da pirataria de filmes? Também dá sua parcela de contribuição. Não só pela logística na distribuição - sem restrição de idade e a baixo custo, mas também, pelas cenas expostas de sexo ao ar livre sobre as calçadas. Some-se tudo isso a ausências de pais preparados e responsáveis e teremos como resultado esse quadro flagelante.

Achar culpados da prostituição desses adolescentes não é tarefa fácil. O assunto é muito complexo. Por exemplo: quando uma autoridade deixar de denunciar o desvio de recursos por parte de um péssimo prefeito, ou secretário, ou governador! Recursos esses que seriam destinados à construção de escolas ou a projetos de geração de empregos. Esta na verdade, através de sua negligência em denunciar e aplicar a lei, contribuindo para a prostituição e outras moléstias sociais. Reflita e veja o nexo causal.

Mas, o ponto principal é a família. Aqui está o segredo não só do combate à prostituição, como de inúmeras outras mazelas. Filhos não planejados, divórcios, falta de oportunidades, despreparo e ausência dos pais, influencias perigosas, etc., também remetem jovens à prostituição.

Voltando ao caso. Dizer que essas adolescentes eram ingênuas é duvidar de nossa inteligência. A própria justiça concede maioridade antecipada para adolescentes que querem casar. Firmando que já possuem condições suficientes para serem responsáveis, inclusive pela prole; que já possuem conhecimento para decidir o que é certo ou o que é errado.

Qualquer pessoa que ame a justiça, a verdade e o respeito pode ser um autentico promotor ou causador de justiça social. E, são desses cidadãos, desses agentes que precisamos na linha de frente do combate à prostituição e não de "tapadores de sol com a peneira", de "juntadores de leite derramado". Desses já estamos cansados! Pois, a temática mudou! Como trabalhar o elemento na sociedade para que não entre na prostituição? Ou melhor, como trabalhar a própria sociedade para que não transforme jovens em objetos - são os novos focos.



Agora, quem pode atirar a primeira pedra nesses madalenos ou nessas madalenas? Quem tem bagagem para isso? Não se pode falar em culpado, mas, sim, em culpados. Pois, toda a sociedade contribui para que essas adolescentes enveredem pelo sombrio caminho da prostituição sem perspectiva alguma de vida.

*Radialista, Apresentador de TV e acadêmico de Gestão Empreendedora

Lula contratou 3 vezes mais concursados que FHC, aponta Ipea



O número de servidores contratados na administração pública brasileira durante a gestão de Luís Inácio Lula da Silva (2003 a 2010) foi cerca de três vezes maior que nos oito anos de Fernando Henrique Cardoso (1995 a 2002), revela estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgado nesta quinta-feira (8).


Segundo o levantamento, foram admitidos 155.534 servidores por meio de concurso público na era Lula, enquanto um total de 51.613 servidores foram admitidos durante o tempo em que governou Fernando Henrique Cardoso....

Vale desrespeita o ECA e sofre mais uma ação civil pública no Maranhão


I N A C R E D I T Á V E L


Justiça nos Trilhos

O Ministério Público Estadual do Maranhão (MPE) moveu uma Ação Civil Pública contra a Vale em decorrência do desrespeito da mineradora às leis do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O promotor de Justiça Joaquim Ribeiro de Souza Júnior, responsável pela comarca judicial de Santa Luzia (MA), que propôs a ação, alega que a empresa ignora “o fato de crianças e adolescentes embarcarem clandestinamente em seus trens de carga ou passageiros”.

Segundo o promotor, essas crianças e adolescentes estão “desacompanhados dos pais ou responsáveis e sem autorização judicial, com violação ao disposto nos artigos 83, 84 e 85 da Lei nº 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente)”.

Júnior salienta que “além de ignorar o caso, a empresa não adota qualquer medida de vigilância para que este embarque clandestino não aconteça”.

Por isso, a Ação Civil Pública foi deferida com pedido de liminar que multa a empresa em vinte mil reais por cada criança entregue aos conselhos tutelares de Santa Luzia e da cidade vizinha, Alto Alegre do Pindaré.

“Já tivemos dois casos, depois da instauração do processo contra a Vale, por isso a empresa já está sendo multada no valor de quarenta mil reais”.

Por todo Estado

Junior diz que resolveu entrar com a ação contra a Vale pela movimentação intensa de crianças e adolescentes entregues pela mineradora, sobretudo, no conselho tutelar de Alto Alegre do Pindaré.

“A única medida tomada pela mineradora era pagar o custeio da volta desses meninos e meninas para casa, isso é muito pouco diante do problema”, reclama o promotor.

O problema é recorrente nos diversos municípios cortados pela EFC: “Recebemos muitas crianças e adolescentes encontradas no trem; nós queremos algo que responsabilize a Vale, pois esses meninos e meninas, quando não resgatados pelos conselhos tutelares, passam a viver pelas ruas, com sérios riscos de se transformarem em adultos em situação de rua, vivendo de maneira degradante”, cobra a conselheira tutelar de São Luis (MA), Rose Nogueira.

Em Buriticupu (MA), a Coordenadora do Conselho Tutelar do município, Ivonete de Matos dos Santos, revela que uma das táticas da empresa para minimizar o problema é “doar para os fundos dos conselhos dinheiro para construção de casas de passagens (para as crianças e adolescentes encontrados no trem dormirem de uma noite para outra) calando muitos conselheiros que acham que essa solução nefasta resolve a questão”.

Junior acrescenta: “isso fere o ECA novamente e traz prejuízos a esses meninos e meninas, pois se não podem embarcar desacompanhados, tampouco podem ficar longe de casa por dois, três dias, perdendo aula e longe dos pais”.

Por enquanto a Ação Civil Pública com Pedido de Liminar só vale para Santa Luzia e Alto Alegre do Pindaré, ambas pertencente à 2ª Promotoria de Santa Luzia. “Mas já há articulação do MPE para que ela seja abrangida para todo estado maranhense”, revela Júnior.

A culpa é de quem?

Segundo Nogueira, o problema dos meninos do trem não é de hoje, “isso vem ocorrendo há uns dez anos”.

A 26 ª Vara da Infância e Juventude de São Luis vem acompanhado o problema mais de perto desde 2005, através do Promotor de Justiça Márcio Tadeu Silva: “desde então foram tentadas algumas possibilidades de acordo com a Vale para assumir seus compromissos, mas nada adiantou”.

Silva ressalta que nos diálogos com a mineradora “expusemos diversas vezes que a ferrovia está sob concessão da Vale, cedida por contrato do poder público e por isso ela é responsável sobre a questão de segurança da linha férrea, isso está no contrato”.

Não obtendo resposta pela Vale para sanar a situação, Silva recorreu à Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT). “Na ANTT eles me falaram que a Vale estava certa nos seus procedimentos de segurança; assim como a própria mineradora, a agência colocou a culpa nas crianças”, lamenta o promotor da vara de São Luis.

Para Júnior é uma exigência simples: “eu não estou pedindo nada além de cumprir a lei, acho estranho a Vale recorrer no Tribunal de Justiça contra essa ação na tentativa de achar outros culpados, é só ela respeitar o ECA, mais nada”, conclui.

O “jeito Vale” de atuar

Os “meninos do trem”, assim como foi batizado o problema, são crianças e adolescentes que entram sem serem percebidas nas estações e se escondem nos vagões de passageiros ou de minério que vai para São Luis. “São crianças que sofrem maus tratos em casa ou passam por algum tipo de dificuldade financeira e vão para a capital maranhense, geralmente para se prostituírem ou mendigarem”, explica Ivonete.

Entregues ao conselho tutelar de São Luis por funcionários da Vale, dois meninos e duas meninas entre dez e quatorze anos, que desembarcaram na ultima estação da EFC, na comunidade de Anjo da Guarda, revelam como a Vale interage com a situação.

Os relatos, que foram gravados em vídeo, contam sobre a abordagem que sofreram por funcionários da mineradora na estação: “o carro da Vale veio e a gente correu para dentro do mato, ai eles pararam e desceram do carro e correram atrás da gente com arma na mão, aí um guarda disse: não corre, eu vou atirar”.

Com medo, o adolescente relata no vídeo que todos voltaram: “ai eles pegaram nós, botaram no chão, na pedra. Aí pegou um pau e começou a dar lapada, deu primeiro nela, (aponta para a menina ao seu lado) deu uma nas costelas do outro e deu uma aqui em mim”, revela.

O guarda da estação ainda teria dito, segundo o adolescente: “rapaz eu tenho três balas, é uma para cada um”.

Os meninos e as meninas dizem que não é a primeira vez que adentram os vagões da Vale sem serem percebidos; pelo relato deles, não existe nenhuma fiscalização ou medida que impeça esse acesso às cargas de minério.

Faça seu pedido de amizade no FACEBOOK...

Click na imagem...