Seis por metade de meia duzia...

"aquilo que se faz por amor está além do bem ou do mal". - Nietzsche

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Crises fazem 2013 ser ano com maior número de presos no sistema federal

Sistema chegou a ter 550 presos; houve 206 novas inclusões, diz o Depen.
Rebeliões, ameaças e ataques nas ruas motivaram as transferências.
 
Crises de segurança pública fizeram de 2013 o ano em que mais presos foram mantidos nas penitenciárias federais de segurança máxima, que guardam os detentos mais perigosos do país.
Segundo o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, as quatro penitenciárias federais chegaram a abrigar 550 presos no ano passado. O maior número desde que a primeira das quatro penitenciárias federais foi construída, em 2006.
Em 2013, houve 206 novas inclusões. As movimentações ocorreram após rebeliões, ataques à população e a bases policiais, assassinatos, ameaças e surgimento de novas lideranças de facções (veja os números na tabela ao lado).
Coordenador do Fórum Permanente do Sistema Penitenciário Federal, que acompanha a administração das quatro penitenciárias federais do país, e corregedor de uma delas, a de Mossoró (RN), o juiz Walter Nunes diz que o ano passado foi atípico. "Com certeza, o com maior movimento". "Foi um ano movimentado não só pela grande entrada e saída de presos. Mas também porque fizemos circular intermanente casos emblemáticos", como o de Fernandinho Beira-Mar, líder de uma facção que comanda o tráfico de drogas no Rio de Janeiro.
O Brasil possui quatro penitenciárias federais localizadas em pontos extremos das fronteiras. Além de Mossoró, as prisões estão em Catanduvas (PR), Porto Velho (RO) e Campo Grande (MS). Cada uma tem 208 vagas, mas a lotação atual é de 60% - em 10 de janeiro, havia ...
 
Ver notícia em G1 - globo.com

Nenhum comentário:

Faça seu pedido de amizade no FACEBOOK...

Click na imagem...