Seis por metade de meia duzia...

"aquilo que se faz por amor está além do bem ou do mal". - Nietzsche

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Tambores de Crioula discutem salvaguarda e comemoram dia da Consciência Negra

A Semana do Tambor de Crioula promoverá o debate sobre a política de salvaguarda dessa expressão cultural maranhense, de matriz africana.

Nesta segunda-feira (17) e terça-feira (18), em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra (20), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Maranhão (IPHAN-MA) realiza a Semana do Tambor de Crioula, com o intuito de provocar o debate sobre a política de salvaguarda dessa expressão cultural maranhense, de matriz africana, reconhecida como Patrimônio Imaterial do Brasil.

O encontro acontece no Teatro da Cidade (antigo Cine Roxy, no Centro), das 14h às 18h, com uma programação envolvendo as três esferas do poder público - os governos federal, estadual e municipal – onde, a partir de mesas temáticas, discutirão sobre a prática do Tambor de Crioula no Maranhão e sua interface com as políticas públicas no Estado.

“O IPHAN-MA vem trabalhando com os grupos de Tambor de Crioula, desde o início do processo de registro, oferecendo todo o aparato legal. E, através da Semana do Tambor de Crioula, esperamos fomentar essa discussão em torno da salvaguarda desse bem cultural e tentar estimular o protagonismo dos detentores, já que são eles que deveriam estar à frente desse processo”, destacou Kátia Bogea, superintendente do IPHAN no Maranhão.

A proposta é avaliar os resultados alcançados pelas ações de salvaguarda já desenvolvidas e buscar alternativas para a sustentabilidade dos grupos em São Luís e definir ações direcionadas ao Tambor de Crioula praticados nos municípios do interior, para que, ao final do evento, o Comitê Gestor de Salvaguarda disponha de subsídios para a ampliação do Plano de Salvaguarda e elaboração de estratégias de atuação para os próximos três anos, tendo em vista a revalidação do título de Patrimônio em 2017.

Em sua pesquisa, o Iphan catalogou as práticas de 61 grupos entre os de maior destaque em São Luís. Mas, atualmente, já chega à marca de quase 150 em todo o Estado. O Plano de Salvaguarda é uma obrigatoriedade, definida na política, após o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial, instituído pelo Decreto 3551/00, e funciona como um instrumento legal com ações que visam a preservação e valorização do patrimônio cultural imaterial brasileiro.

Confira a programação:
17 de novembro (segunda-feira)
14h – Recepção dos participantes
14h30 – Abertura
14h50 – Mesa 01: Tambor de Crioula para quem: a prática do Tambor de Crioula e a indústria do Turismo em São Luís
16h10 – Coffe break
16h30 – Mesa 02: Tambor de Crioula: devoção e obrigação
18h – Encerramento

18 de novembro (terça-feira)
14h - Recepção dos participantes/ Abertura
14h30 – Mesa 01: O projeto de Salvaguarda do Tambor de Crioula: avanços e resultados
16h – Coffe break
16h20 – Mesa 02: Políticas públicas para o Tambor de Crioula no Maranhão
18h – Encerramento

Nenhum comentário:

Faça seu pedido de amizade no FACEBOOK...

Click na imagem...